NOSSA HISTÓRIA

"O lugarejo Tuntum começou sua povoação por volta de 1890, quando José Naziozeno e sua família, vindo do lugar Repartição, pertencente a Barra do Corda,passou a morar próximo a um Olho D`Água situado a margem esquerda do riacho Tuntum cujo local é conhecido pelo nome de Brejo do Caboclo Naziozeno".

Em 1902, chegava a Tuntum o casal Manoel José e Alexandrina, em companhia dos filhos e passam a morar à margem esquerda do riacho, próximo do olho d`água da Macuiba, cuja morada recebeu o nome de "Paca", esse local mais tarde foi habitado também por seus genros Alipio Benvida.

Manoel Benvida e Anunciato Borges. Sendo a terra desse lugarejo, um lugar fértil para o plantio do arroz, foi atraindo vários outros moradores.

Por volta de 1906, chegava a Tuntum a família dos Carneiros vindo da Passagem Franca, capitaniada por Francisco Santos e foram morar a margem direita do riacho. O local passou a a ser chamado de Sítio dos Carneiros, assim a povoação ia crescendo, com a chegada das famílias de Luís Coelho (1910), Honório de Araújo (1920) Correia Lima e Tavares Viana. Nessa época também chegaram no município, Francisco Andrade e seus irmãos, vindo de Pasto Bons.

Em 1936 era a vez da família Correia chegar a esta povoação e com eles inauguração do primeiro comércio a varejo do Sr. Estevão Correia e a indústria de algodão do Sr. Francisco Coelho.

Em 1940, era vez das famílias Arruda Leda, chefiada por Ariston Arruda Leda, chegarem a esta povoação o qual encontrou, um amontoado de palhoças a ser o líder político e chegou a ser Prefeito de Presidente Dutra, que lutou pela emancipação de Tuntum e depois foi o 1º Prefeito eleito desse novo município.

Gentílico: tuntuense

Formação administrativa

Elevado à categoria de município com a denominação de Tuntum, pela lei estadual nº 1362, de 12-09-1955, desmembrado de Presidente Dutra. Sede no atual distrito de Tuntum ex-povoado. Constituído de 2 distritos: Tuntum e São Joaquim dos Melos. Instalado em 27-12-1955.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Tuntum e São Joaquim dos Melos.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Fonte:IBGE




HINO DA CIDADE

Hino Municipal de Tuntum

Surgiste sobre o alto Mearim
Bela cidade com os louros da grandeza
Um povo forte que nasceu para cantar
Os seus recursos transformados em riquezas

É de prestigio artesanato em ti criado
Pelas mãos ágeis de um povo empreendedor
Ó! Meu Tuntum por ti assim dizemos
És a esperança de um Brasil mais promissor!

A lentidão do Rio Flores que te banha
São Raimundo nosso santo protetor
Sua juventude e tuas crianças
Fazem de ti um marco de esperança

Amado Tuntum
Pedaço brasileiro
Que aqui no Maranhão
Reflete ao mundo inteiro. (2x)

 


LEI DE CRIAÇÃO

MUNICÍPIO DE TUNTUM

LEI nº 1.362 de 12 de setembro de 1955, cria o Município de TUNTUM e dá outras providências.

O Governador do Estado do Maranhão

Faço saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º- Fica criado o Município de Tuntum, cujo território será desmembrado do Município de Presidente Dutra.

§ 1º - O Município ora criado terá a categoria de termo judiciário pertencente à Comarca de Presidente Dutra.

§ 2º - A sede do Município será o atual povoado Tuntum o qual será elevado à categoria de cidade, com denominação de Tuntum.

Art. 2º - O território do Município terá os seguintes limites:

LIMITES MUNICIPAIS

I - Com o Município de BARRA DO CORDA:

Começa na bifurcação do talvegue do rio Alpercatas com a de seu afluente da margem esquerda riacho Maravilha; dessa bifurcação segue pelo talvegue do riacho Maravilha, à montante, até a sua cabeceira mais alta; dessa cabeceira segue em alinhamento reto, até à cabeceira mais alta do rio Flores, afluente da margem direita do rio Mearim; dessa cabeceira segue pelo talvegue Flores, à jusante, até a foz do Igarapé Preguiça, o afluente da margem direita do Flores.

II - Com o Município de PRESIDENTE DUTRA:

Começa na foz do Igarapé Preguiça, afluente da margem direita do rio Flores; dessa foz, segue pelo curso Preguiça, à montante até a barra do baixão denominado Jacarezinho afluente da margem esquerda do Preguiça e, que corre, um pouco à montante da lagoa do Capim; dessa barra, segue pelo talvegue do Jacarezinho à montante, até vértice de sua bacia no divisor de águas Igarapé Preguiça e Igarapé Tuntum; segue por esse divisor, até o vértice principal da bacia Grota do Amolar, formador principal do Preguiça; desse vértice continua pelo divisor de águas Igarapé Preguiça e Igarapé São Bento, também conhecido por Cigana, até o respectivo entroncamento no divisor de águas Mearim-Itapecuru.

III- Com o Município de SÃO DOMINGO:

Começa no ponto de entroncamento do divisor de águas Preguiça-São Bento, também conhecido por Cigana, com o divisor Mearim-Itapecuru; desse ponto de entroncamento, segue por esse divisor, até o ponto em que o mesmo formar o nó com o divisor Itapecuru-Pucumã.

IV- Com o Município de COLINAS:

Começa no nó formado pelo divisor Mearim-Itapecuru com o divisor Itapecuru-Pucumã; desse nó, segue pelo divisor Mearim-Itapecuru, até o ponto em que o mesmo é atingido pela reta Sul-Norte, verdadeiro que biparte a menor distância entre os lugares Furrundango e Mangabas, sitos à margem da estrada de Tropa que liga Barra do Corda e Colinas; desse ponto, segue pela referida reta Sul-Norte verdadeiro até o talvegue do Alpercatas.

V – Com o Município de MIRADOR:

Começa no ponto em que a reta Sul-Norte, que biparte a menor distância entre os lugares Furrundango e Mangabas, sitos à margem da estrada de Tropa, que liga Barra do Corda a Colinas, atinge o talvegue do rio Alpercatas, desse ponto, segue pelo talvegue de Alpercatas, à montante, até o ponto de bifurcação do mesmo com o riacho Maravilha, seu afluente da margem esquerda.

DIVISAS INTERDISTRITAIS

O Município será constituído de dois distritos, o de São Joaquim dos Melo e o de Tuntum, que fica criado na presente Lei.

I – Entre os distritos de TUNTUM E SÃO JOAQUIM DOS MELO

Começa na margem direita do rio Flores na passagem da estrada de Tropa Barra do Corda-Presidente Dutra, nesse rio; segue por essa estrada, em direção aproximada de leste, até a sua passagem do Igarapé São Bento, também conhecido por Cigana; segue pelo talvegue do rio São Bento, à montante, até a sua cabeceira mestra e, daí, por um alinhamento reto com a direção Leste verdadeiro, até alcançar o divisor de águas Mearim-Itapecuru.

Art. 3º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Art. 4º - Revogam-se as disposições em contrário,

Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conhecimento e execução da presente Lei pertencerem que a cumpram e façam cumprir tão inteiramente como nela se contém. O Secretário de Estado dos Negócios do Interior, Justiça e Segurança a faça publicar, imprimir e correr.

Palácio do Governo do Estado do Maranhão, em São Luis, 12 de Setembro de 1955, 134º da Independência e 67º da República.

EUGÊNIO BARROS

PROJETO DE LEI Nº 191 ENVIADO PARA OFÍCIO Nº 215/44, DE 12 DE SETEMBRO DE 1955.
 

 

Este texto não substitui o original publicado em imprensa oficial.



Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!